Enciclopedia de la Literatura en México

Farabeuf

Farabeuf é a anti-novela, onde a história se perde nas experiências da língua e onde os personagens se confundem, se questionam e deixam de existir para serem meras palavras no papel. Salvador Elizondo é considerado um dos mais importantes escritores de vanguarda do México e da América Latina. Renovador fundamental da narrativa, ele criou um universo da escritura cujo objetivo não é contar uma história ou entreter o leitor, sua escritura só tem como resultado a subversão, a subversão de si mesma. Farabeuf mistura cirurgia, tortura e coito. Os três acontecendo ao mesmo tempo, criando um livro sinistro, perturbador e confuso. A descrição de uma terrível tortura, na qual um homem (ou talvez uma mulher?) é cortado em cem pedaços até a morte, causa horror e repulsa mas, ao mesmo tempo, ela pode levar uma mulher ao êxtase sexual e à necessidade urgente de repetir o ritual sangrento, entregando-se morta ao homem amado. Considerado um “maldito” na América Latina (agora que o termo volta à moda no Brasil), Elizondo possui uma pequena mas desconcertante obra, onde o experimentalismo e a inventividade ocupam lugar destacado Farabeuf, escrito em 1966, é publicado pela primeira vez no Brasil seguindo a proposta da Amauta Editorial de trazer para a língua portuguesa obras inéditas de qualidade do mundo hispânico.

* Esta contraportada corresponde a la edición de 2009. La Enciclopedia de la literatura en Iberoamerica no se hace responsable de los contenidos y puntos de vista vertidos en ella.